Desenvolvimento pessoal

Um pouco de PNL, parte 3: Filtros Universais.

Por 20 de março de 2016 No Comments

Será que tudo o que vemos, ouvimos e sentimos é real? Será que tudo é realmente como achamos ser? E se existir algum filtro no meio disso tudo? Eu, por exemplo, sou daltônico, será que quem enxerga as cores de outra maneira sou eu ou a maioria das pessoas?
A PNL defende que possuímos filtros para obtermos as informações do mundo, e tudo o que existe na parte externa de nosso corpo, precisa passar por esses filtros antes de formarmos uma opinião final sobre o que estamos vivendo. Esses filtros são os responsáveis por nosso cérebro conseguir processar tantas informações ao mesmo tempo, e caso não saibamos utilizá-los, eles também serão responsáveis por muitos problemas nem sempre reais.
Os filtros de que estamos falando são: Filtro de deleção, filtro de distorção e filtro de generalização.

O filtro de deleção é o responsável por selecionar as informações realmente necessárias que precisamos para viver o momento. Você já imaginou se fossemos reparar tudo o que vemos, ouvimos e sentimos? Já imaginou sentir as suas roupas a todo momento? Ouvir o barulho do motor do carro durante uma viagem toda? Pois é essa a principal função do filtro de deleção. Ele seleciona as informações que precisamos para realizarmos nossas atividades, deletando muita coisa que nosso cérebro não necessita perceber conscientemente para termos sucesso no que estamos fazendo. Esse filtro também pode ser treinado para conseguirmos informações de maior qualidade, um exemplo é a linguagem corporal. Toda hora estamos comunicando, o nosso corpo fala mais que nossas palavras e a maioria das pessoas que não conhecem linguagem corporal, deletam os sinais que o corpo nos passa. Caso você estude linguagem corporal, começará a não deletar essas informações.

Também existe o filtro de distorção, e ele pode causar sérios problemas caso seja usado de maneira exagerada. Se deixarmos esse filtro tomar conta de nossas representações, ele pode distorcer a nossa informação fazendo com que uma experiência se torne uma experiência falsa. Um exemplo para esse caso é acharmos que nosso cônjuge está nos traindo, pois não responde o telefone ou porque chegou tarde em casa. Estamos distorcendo o fato sem nem sabermos da verdadeira história. Muitas vezes a pessoa está tão atarefada que não consegue responder nossas expectativas, e então esse filtro nos faz pensar o pior possível, distorcendo a realidade e fazendo com que o relacionamento termine. Você já conheceu algum caso assim, não?
Também é através desse filtro que deixamos a nossa criatividade trabalhar. Ele é o responsável por sermos criativos, admirarmos a arte, ver a beleza no pôr do sol, etc. Isso explica o porquê de pessoas acharem um quadro de arte algo maravilhoso enquanto que outras pessoas acham somente um quadro com traços de tinta.

E por último, temos o filtro de generalização, que faz as pessoas generalizarem suas experiências. Quando alguém aprende a andar em uma bicicleta, ela aprende a andar em diversos modelos de bicicleta, pois está generalizando o seu aprendizado. Aprender a usar um celular, faz com que aprendamos a usar diversos tipos de celular. O problema é que esse tipo de generalização algumas vezes não funciona, pois em alguns casos existem diferenças no que achamos já conhecer. Um exemplo é tentar utilizar um Mac pela primeira vez, achando que será igual a experiência de usar o Windows.
Generalizar tem um limite, e é aqui que precisamos controlar esse filtro. Não é porque um relacionamento nos fez mal que todos farão mal, não são todas as mulheres que dirigem mal, existem muitas que dirigem muito melhor que os homens, nem todos os políticos são corruptos, existem muitos casos de políticos que são exemplos de humanidade.

Agora que você conheceu os três filtros universais, precisa começar a utilizá-los de forma correta e com cautela. Você tem problemas em concentração com barulhos no ambiente? Tente utilizar o filtro de deleção. Ele funciona muito bem para diminuir aquele barulho que está lhe atrapalhando. Para praticar, tente diminuir o barulho na sua cabeça. Faça um esforço e diminua o volume, fazendo com que ele pare de lhe atrapalhar.

Você tem problemas com ciúmes? Controle a sua distorção! Nem sempre o que você acha ser verdade é verdade. Entenda o que realmente aconteceu com a outra pessoa, fique calmo e perceba a realidade sem distorcer as informações que você tem no momento. Pergunte a você mesmo se o que você está percebendo é distorção ou não, e assim você terá uma vida muito mais leve.
Você costuma generalizar acontecimentos? Quando você perceber que está generalizando uma experiência, mude! Controle-se e reflita sobre nem tudo ser igual aos acontecimentos que você já teve em sua vida!

Idealizador do Programando Resultados. Criou o projeto com a intenção de ajudar o máximo de pessoas possível e deixar um legado para o mundo. Utiliza a Programação Neurolinguística para ter uma vida mais equilibrada entre corpo e mente e acredita que devemos cuidar da qualidade de vida, sermos solidários e viajarmos o mundo quando possível para termos uma vida mais livre.

Comente